Pontos turisticos em Curitiba

Para a nossa verde e fria Curitiba, postamos algumas dicas sobre os parques e a história de cada um deles, agora a decisão de quais deles vocês irão visitar é com vocês, eu recomendo que usem o mapa abaixo, e a linha Turismo para facilitar o acesso, além de fazer amigos você terá uma excelente vista da cidade (mas veja a previsão do tempo com antecedência, afinal Curitiba é uma cidade um tanto quanto “Londrina”)

9f1f701649c654240c1881191721b3e1b8771473

A Linha Turismo é uma linha de ônibus especial que circula nos principais pontos turísticos de Curitiba. Com ela, é possível conhecer os parques, praças e atrações da cidade. Considerada uma das melhores do país, a Linha Turismo circula a cada trinta minutos, percorrendo aproximadamente 45 km em cerca de duas horas e meia.

O roteiro começa na Praça Tiradentes, mas é possível iniciar o trajeto em qualquer um dos pontos. Para embarcar você compra uma cartela com cinco tíquetes e tem direito a um embarque e quatro reembarques. Conheça a Linha Turismo e viaje Curitiba em todos os pontos.

Atenção
1 – Não opera às segundas-feiras;
2 – Ponto inicial na Praça Tiradentes;
3 – Horário de atendimento das 9h00 às 17h30, a cada 30 minutos (ver tabela de horários);
4 – As cartelas com os tíquetes podem ser adquiridas nos ônibus em qualquer ponto de embarque, ou na URBS – Rodoferroviária – Bloco Central – Av. Pres. Affonso Camargo, 330. Horário de atendimento: das 8h30 às 17h00 – dias úteis – de segunda a sexta-feira;
5 – Crianças até 5 anos não pagam a tarifa.
6 – Somente os ônibus identificados com “adesivo Bicicleta” fixado na porta traseira tem possibilidade de transporte de bicicleta ou carrinho de bebê;

Mapa-Turistico-Curitiba

Agora apertem os cintos e tenham um ótimo passeio, não esqueçam de deixar aqui um  comentário após ter conhecido os parques e um pouquinho da cidade de Curitiba, também queremos que compartilhem conosco suas experiências, e sempre que possível acompanham nossos Posters  pois em Março começa nossa aventura pelo Brasil e teremos muita história pra contar e lugares para indicar.

Até a próxima parada

Pedro e Noemi

Museu Oscar Niemayer

O Museu Oscar Niemeyer (MON) é um espaço dedicado à exposição de Artes Visuais, Arquitetura, Urbanismo e Design. Possui cerca de 35 mil metros quadrados de área construída e mais de 17 mil metros quadrados de área expositiva, considerada a maior da América Latina.

O MON foi inaugurado em 2002. O projeto é de autoria do reconhecido arquiteto brasileiro que leva seu nome. O Museu Oscar Niemeyer já realizou ao longo deste período mais de 300 mostras nacionais, internacionais e itinerantes. Com um total de 12 salas expositivas, a cada ano são realizadas mais de 20 mostras, que juntas recebem um público superior a 300 mil visitantes. No fim de dezembro de 2013, MON chegou à marca de 2 milhões de pessoas que visitaram a instituição desde o início da contagem, em 2003.

Com uma equipe multidisciplinar, que visa aproximar e aperfeiçoar a experiência dos visitantes com as artes visuais, o Museu possui o setor de Ação Educativa que atende diariamente estudantes, professores e o público em geral, bem como realiza cursos e oficinas, abertas ao público, com o objetivo de capacitar pessoas no desenvolvimento de trabalhos e projetos.

Documentação, Acervo e Acessibilidade

O MON possui o Centro de Documentação e Referência com um acervo de mais de 9 mil publicações e periódicos para pesquisa. Entre os títulos encontram-se livros sobre história da arte, revistas especializadas, catálogos de exposições, vídeos com depoimentos de artistas e curadores, e um arquivo fotográfico constituído por registros de obras e de artistas paranaenses, que estão sempre disponíveis para livre consulta dos visitantes. O acesso à biblioteca é gratuito e os usuários recebem acompanhamento especializado. O horário de funcionamento é de terça a sexta-feira, das 10h às 18h, e no primeiro domingo do mês das 12h às 18h.

Outro setor importante é a Reserva Técnica e o Laboratório de Conservação e Restauro, onde as obras são armazenadas seguindo critérios internacionais. O acervo do MON possui mais de 3.400 mil peças, composto por obras dos paranaenses Alfredo Andersen, João Turin, Theodoro De Bona, Miguel Bakun, Guido Viaro e Helena Wong, além de Tarsila do Amaral, Cândido Portinari, Oscar Niemeyer, Ianelli, Caribé, Tomie Othake, Andy Warhol, Di Cavalcanti, Francisco Brennand, entre outros.

Quando completou uma década de existência, em 2012, o MON ampliou o acesso gratuito às exposições e o ao horário de funcionamento, reforçando a sua missão social e o seu compromisso com a democratização do acesso e a formação de público.

O espaço foi eleito – também em 2012- um dos 20 museus mais bonitos do mundo pelo guia norte-americano Flavorwire e foi escolhido pelo público do TripAdvisor – maior site de viagens do mundo – um dos principais pontos turísticos de Curitiba. Além disso, o Instituto Paraná Pesquisas realizou um levantamento no final deste ano, que revela que 94% dos entrevistados qualificam o MON como ótimo ou bom, e que 98% pretendem voltar ao museu para uma nova visita. Em 2015, o MON foi escolhido como um dos 10 museus do Brasil para colocar na lista de viagem pelo site de turismo “Pure Viagem”. Nesta lista estão o Museu Imperial, no Rio de Janeiro, o Instituto Inhotim, em Minas Gerais, a Pinacoteca do Estado de São Paulo e o Instituto Ricardo Brennand, em Recife, entre outros.

Prêmio

Em 2013, o projeto “Arte para Maiores” do Museu Oscar Niemeyer (MON) foi contemplado pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram/MinC) com o “Prêmio Modernização de Museus”. O projeto viabiliza a criação de um programa específico de sensibilização para a arte dirigido para o público com mais de 60 anos.

museuolho

Histórico

A história do museu teve início em 1967 quando o arquiteto Oscar Niemeyer projetou o que é hoje o prédio principal, inaugurado somente em 1978 e então chamado de Edifício Presidente Humberto Castelo Branco. Em 2001, 23 anos depois de sua inauguração, as autoridades do Estado decidiram transformar a generosa área em museu e, em 22 de novembro de 2002, o edifício deixou de ser sede de secretarias de Estado para se transformar no, inicialmente batizado, Novo Museu.

O prédio passou por adaptações e ganhou um anexo, popularmente chamado de Olho, ambos de autoria do reconhecido arquiteto brasileiro Oscar Niemeyer.

museu-niemeyer

Estrutura do complexo do MON

O prédio principal, distribuído em três pisos – subsolo, térreo e primeiro pavimento –, tem estilo moderno e é totalmente estruturado a partir de linhas retas. A estrutura do prédio é de concreto protendido, que permite vencer os grandes vãos da edificação com um enorme arrojo estrutural. A Torre, também conhecida popularmente como “Olho”, totaliza o complexo com seus quatro andares de espaço para exposições.

Além das salas expositivas, a estrutura também dispõe de um auditório, com capacidade para 372 pessoas sentadas; um ambiente exclusivo para realização de eventos externos para 500 pessoas; o MON Loja, com produtos personalizados com a marca do Museu e o MON Café, um ambiente aconchegante para alimentação, encontro e lazer.

O Museu conta ainda com 316 vagas nos dois estacionamentos térreos, um frontal – acessado pela Rua Marechal Hermes – e outro localizado na parte de trás – com acesso pela Rua Manoel Eufrásio.

museu_oscar_niemeyer_842009-153652-1

Térreo

Na extremidade Norte, está a bilheteria, o MON Café e a MON Loja. Na parte Sul, localiza-se a entrada do Museu e o espaço para o Salão de Eventos.

Primeiro Piso

Com nove salas expositivas, o primeiro piso abriga a maioria das exposições. O ambiente pode ser acessado por meio de escadas, rampas e elevador, facilitando o trânsito de portadores de deficiências.

Subsolo

Neste nível se encontra a exposição permanente de projetos, fotos e maquetes de obras do arquiteto, batizado de Espaço Niemeyer, o Pequeno Auditório, além da sala expositiva Galeria Niemeyer, as salas administrativas, o Espaço da Ação Educativa, onde são realizados cursos e oficinas, o Pátio das Esculturas, que abriga a exposição permanente de algumas obras que pertencem ao acervo do Museu , o Centro de Documentação e Referência, o Laboratório de Conservação e Restauro e a Reserva Técnica. Este último setor é equipado com móveis especiais para a adequada acomodação da coleção do acervo como trainéis, mapotecas e armários deslizantes.

Anexo

Instalado à frente do edifício principal e internamente ligado a ele por um túnel, o anexo reconhecido pela denominação de Olho, tem 30 metros de altura e é composto por quatro pavimentos. O salão principal possui cerca de 1,5 mil metros quadrados para exposições e ainda completam a estrutura o Espaço Araucária e o miniauditório.

Ópera de Arame em Curitiba

Considerado um dos mais belos e importantes pontos turísticos de Curitiba, a Ópera de Arame também se caracteriza como um espaço destinado as mais diversas manifestações artísticas.

Opera-de-Arame

A inauguração aconteceu em 1992 durante o I Festival de Teatro de Curitiba com o espetáculo Sonho de Uma Noite de Verão, de Shakespeare, numa montagem do diretor Cacá Rosset. O objetivo era suprir a dificuldade de se realizar alguns eventos na Pedreira Paulo Leminski em razão da falta de cobertura.Domingos Bongestabs foi o arquiteto responsável pela obra.

Opera_de_Arame_Interior

A estrutura formada por tubos de aço e vidro torna a Ópera de Arame um dos grandes cartões postais da capital paranaense. A construção – executada em apenas 75 dias – retrata a vertente da arquitetura moderna na cidade. Há ainda a Parede da Fama em que se encontram placas responsáveis por resgatar e relembrar importantes artistas que já passaram pelo Parque das Pedreiras (Pedreira Paulo Leminski + Ópera de Arame). Destaque para nomes como Paul McCartney, Tom Jobim, Chico Buarque e Roberto Carlos.

A Ópera de Arame foi eleita uma das Sete Maravilhas Brasileiras pelo site de hospedagem Hoteis.com. A pesquisa foi feita em novembro de 2011 com os visitantes cadastrados no site. Foto:Orlando Kissner/SMCS(arquivo)
A Ópera de Arame foi eleita uma das Sete Maravilhas Brasileiras pelo site de hospedagem Hoteis.com. A pesquisa foi feita em novembro de 2011 com os visitantes cadastrados no site.
Foto:Orlando Kissner/SMCS(arquivo)

A Ópera de Arame recebeu ao longo de sua história espetáculos memoráveis. Foi palco de shows, eventos cênicos, encontros, congressos, formaturas, apresentações culturais e eventos em geral.  O espaço cultural contempla uma área equivalente a 04 mil m² com uma capacidade para cerca de 1572 pessoas. Fica na Rua João Gava, 970, bairro Pilarzinho, no Complexo Parque das Pedreiras.

c6c16f0f396598431cbbfadf4823221b

A sugestão para você conhecer a Ópera de Arame é aproveitar os passeios oferecidos pelas empresas do Núcleo de Turismo Receptivo de Curitiba:

Jens Tours: City tour, podendo ser personalizado de acordo com perfil do cliente, com os principais pontos turísticos de Curitiba, dispomos de serviço de Transfer e gestão em transporte de eventos para sua comodidade. Motoristas e guias bilíngues, frota própria: Vans Micro, ônibus, e carros executivos.jorge@jenstours.com.br • Tel.: 41 3398 1188.

Kuritbike: O Bike Tour Ópera de Arame é um roteiro que conta muito sobre a história de Curitiba. Acontece em ciclovias tranquilas e arborizadas; e permite a passagem por lindos parques e bosques. São eles: Passeio Público; Bosque do Papa; e Parque São Lourenço. Além disso, o passeio ainda contempla o Memorial Árabe; MON; e a Ópera de Arame. Saiba mais.

Serra Verde Express: City Tour – Manhã com visita aos principais pontos de Curitiba. Duração de 3h30. Praça Tiradentes; Catedral Metropolitana; Universidade Federal do Paraná; Teatro Guaíra; Centro Cívico; Museu Oscar Niemeyer; Bosque Alemão; Rua das Flores; Jardim Botânico; Bosque do Papa; Ópera de Arame;Unilivre; Tanguá. Saiba mais.

Special Paraná: O Curitiba City Tour – Intensivo Dia Inteiro te leva uma descoberta por Curitiba que dura 09 horas. Tem caminhada pelo centro da cidade; almoço em Santa Felicidade; visita a Museus e Parques. Saiba mais.

OneTur: O Passeio pela Cidade de Curitiba inclui um tour com 04 horas de duração que irá te levar para os principais e mais belos pontos da capital paranaense.Visitas Externas: Praça Tiradentes; UFPR; Teatro Guaíra; Igreja Nossa Senhora do Perpétuo Socorro; Museu Oscar Niemeyer. Visitas Internas:Jardim Botânico; Bosque do Papa; Ópera de Arame; Unilivre; Parque Tanguá; Relógio das Flores. Saiba mais.

AH Turismo: O City Tour tem como uma das atrações o passeio pelo MON. Além disso, inclui locais como Largo da Ordem, Bosque do Papa, Ópera de Arame,Parque Tanguá, Unilivre, Praça Tiradentes, Catedral, Rua das Flores, Centro Cívico, Jardim Botânico, entre outros.

Parque Barigui

 O Parque Barigui (ü) está situado na cidade de Curitiba, capital do estado brasileiro do Paraná.O parque recebe o nome do Rio Barigui que foi represado para formar um grande lago em seu interior. Está entre os maiores da cidade, sendo, também, um dos mais antigos. Diversas espécies de animais vivem livres no parque, como aves, capivaras e pequenos roedores. Um rebanho de carneiros também pode ser visto diariamente nos gramados, sob os cuidados de funcionários.PARQUE BARIGUI

Recebe grande número de freqüentadores, especialmente antes e depois do horário comercial nos dias úteis, e ao longo de todo o dia e começo da noite, nos sábados, domingos e feriados. É também ponto de encontro de muitos praticantes de futebol americano, e aos sábados é comum ver pessoas jogando nos gramados atrás do heliponto e no campo atrás do restaurante nos time Hurricanes e Crododiles, respectivamente.

História e a origem do nome

O parque mais visitado e um dos mais antigos da capital paranaense foi criado em 1972 com a intenção de conter as enchentes e preservar a mata nativa da bacia do Rio Barigui na região.

Na época da fundação do povoado de Nossa Senhora da Luz dos Pinhais, a área aonde se encontra o parque era uma sesmaria pertencente a Balthazar Carrasco dos Reis e algum tempo depois Mateus Leme tomou posse de uma nova sesmaria nesta região.

Documentos antigos citam esta localidade com a denominação de Mariqui e o atual nome é uma referência ao próprio rio que atravessa o parque e que significa “rio do fruto espinhoso” em língua indígena, fazendo alusão ao fruto do pinheiro, ou seja, a pinha.

Características

  • Área total: 1,4 milhão de metros quadrados.
  • Área do lago: 230 mil metros quadrados.
  • Heliponto.
  • Sanitários públicos e amplos estacionamentos para veículos.

Atrações:

  • Pista de grande extensão, em volta do lago e outras partes, para caminhadas e corridas.
  • Equipamentos ao ar livre para ginástica e alongamento.
  • Quiosques com churrasqueiras.
  • Pistas de bicicross e aeromodelismo.
  • Canchas poliesportivas.
  • Pista exclusiva para bicicletas e patins, em volta do lago.
  • Trilhas para caminhadas por dentro dos bosques do parque.
  • Bares e restaurantes.
  • Academia de ginástica.
  • Museu do Automóvel de Curitiba.
  • Centro de Exposições de Curitiba (Parque Barigüi), pavilhão com 10 mil metros quadrados de área e pé-direito de 6 metros, destinado a exposições e convenções.
  • “Salão de Atos” da prefeitura municipal.
  • Sede da “Secretaria Municipal do Meio Ambiente”.

310 Anos de Curitiba

Em 2003 o Parque Barigui recebeu a apresentação de Roberto Carlos em comemoração aos 310 anos da cidade de Curitiba, com entrada gratuita. Roberto Carlos pisou no palco montado no Parque Barigüi por volta das 20h15 mais de uma hora depois do horário previsto, logo depois de a orquestra fazer um pout-pourri dos seus maiores sucessos. As cerca de sessenta mil pessoas que se aglomeravam no gramado receberam o cantor com entusiasmo. Roberto Carlos agradeceu várias vezes, fez uma pausa marota, e emendou “Emoções”.

E Roberto Carlos ofereceu ao público sucessos (“Como é Grande o Meu Amor por Você”, “Detalhes”, “As Curvas da Estrada de Santos”, “Parei na Contramão”, “É Preciso Saber Viver”, entre outros), uma homenagem a Caetano Veloso (“Força Estranha”) e um tributo a Maria Rita (“Eu Te Amo Tanto”, “Amor Sem Limite”, essas duas cantadas ao piano). Para coroar a noite, “Jesus Cristo” num coro de sessenta mil vozes e as rosas para o público.