Arquivo da categoria: Receitas Típicas

Pirá de Foz do Iguaçu

Dourado Assado
O prato tradicional servido nos diversos restaurantes da cidade é o Dourado acompanhado do Pirá (receita abaixo), originário das águas do baixo Paraná, de carne muito saborosa. Normalmente, pescam-se exemplares com cerca de 70 centímetros de comprimento e peso de 6 quilos, mas existem registros de peixes com 1,4 metros e mais de 30 quilos.

A Pesca ao Dourado é o evento mais tradicional de Foz do Iguaçu. Anualmente, traz inúmeros pescadores de todo o Brasil, que vêm em busca do sabor incomparável desse peixe de carne branca e macia.

Para acompanhar o dourado Assado é servido também o famoso Pirá, um prato típico e muito conhecido na região de Foz do Iguaçu, veja a receita abaixo.

Pirá de Foz
Criado em 1996, o prato típico da cidade é o “Pirá de Foz”. Eleito entre vários outros pratos à base de peixe, o prato foi idealizado por Dirceu Vieira dos Santos, cozinheiro do Hotel Bourbon.

Na linguagem tupi-guarani, “pirá” significa peixe, sendo que na receita original o peixe utilizado é o surubim, de carne saborosa, encontrado nos rios da região. A base do prato, ornamentado com o surubim, é molho de gengibre, purê de mandioca e arroz com espinafre.

Ingredientes e preparo

2 filés de peixe de 200 gramas cada
1/2 litro de água
1/2 ramo de salsa
1/2 cebola pequena
Cozinhe o peixe com os ingredientes e reserve.

Primeira guarnição

300 gramas de mandioca
2 colheres (sopa) margarina
1/2 copo de leite
Sal a gosto
Cozinhe e moa a mandioca. Faça um purê com leite e sal a gosto. Reserve.

Segunda guarnição

100 gramas de arroz
1 colher (sopa) de óleo
1 maço de espinafre
Cozinhe o arroz; depois de refogar, cozinhe o espinafre na água e sal, escorra e pique bem fino. Ponha na frigideira com margarina e misture com o arroz cozido. Reserve.

Molho

20 gramas de cebola média cortada em fatias finas
1 cenoura média em fatias finas
1 pimentão vermelho sem pele e sem sementes cortado em tiras finas
20 gramas de gengibre picado
1 ramo de salsa
1/2 taça de vinho branco
1 colher (chá) rasa de orégano
1 pitada de pimenta branca moída
1 colher (sopa) de óleo de soja
1 colher (sobremesa) de maisena
200 ml de caldo de peixe
Sal a gosto
Frite o alho no óleo. Junte a cebola, a cenoura e o gengibre e deixe refogar por três minutos. Coloque o caldo de peixe cozido, o orégano, o pimentão, a pimenta e sal a gosto. Deixe ferver por cinco minutos, dissolva a maisena no vinho e coloque no molho até dar consistência.

Montagem do prato

Coloque o molho no prato e acrescente o peixe. Coloque arroz, o purê de mandioca e decore com uma flor de cenoura. Sirva quente e bom apetite!

Nossa História

O Amor Sobre Rodas como o próprio nome diz, nasceu da junção da história do amor de um casal,  Pedro Lucavei e Noemi Cardoso, com o sonho (inicialmente dele) de colocar as rodinhas na estrada, literalmente.

Ele,  já com os filhos adultos e prestes a gozar do direito a aposentadoria após anos de trabalho duro e suado, decidiu ao longo dos seus bem vividos 55 anos, partir em um Trailer sem data para retornar, dando início primeiro pelos estados brasileiros e posteriormente por países da  América do Sul. Mas como nem tudo são flores, faltava a companhia certa, aquela que mesmo sem ele saber também o procurava, então  seus caminhos finalmente se cruzaram e  houve no mesmo instante a certeza que não haveria mais volta, a escolha estava feita e seus destinos traçados, então deu-se início ao planejamento, que levou um certo tempo até que pudesse se tornar real e viável.

Não foi paixão a primeira vista, foi amor de almas com sonhos e ideais semelhantes, pessoas livres com o desejo de viver um grande amor pautado na simplicidade, no desafio, no companheirismo e cumplicidade, regado de muita paz. Dispostos a irem colhendo pelo caminho o aprendizado que só os peregrinos de alma e coração são capazes de entender, a busca não só por culturas e costumes diferentes mas especialmente pelo autoconhecimento e a busca por ideais que vão além de empregos pomposos, restaurantes caros, carros de luxo na garagem, e o vazio que é oferecido pelas grandes metrópoles como ingredientes de consumo que escravizam e nos fazem viver cegos sem perceber a imensidão do mundo que há lá fora,  das infinitas possibilidades, do olhar as estrelas a noite e ouvir o som do mar ao amanhecer, sem fixar raízes naquilo que não possui valor real, levando na bagagem somente o necessário para dar mais espaço as boas lembranças de todos os amigos e histórias que vivenciamos pelo caminho.

Assim, com apenas um ideal e muito amor iniciamos nossa jornada e decidimos criar esse espaço para que nossos amigos e parentes nos acompanhem aonde estivermos, mas logo percebemos que era necessário levar uma mensagem a todos  que vieram posteriormente a nos acompanhar, a de que tudo na vida é possível quando sonhamos e acreditamos nesse sonho, quando vivemos nossa vida com retidão e sabedoria, quando vamos buscar no nosso mais intimo as respostas que nossa alma tanto almeja. Ao longo da nossa jornada vamos dividir com vocês alguns desses sentimentos, dificuldades e aprendizados que formos encontrando pelo caminho, queremos que cada um de vocês que nos seguem façam parte dessa nossa família. Sejam todos muito bem vindos e até nossa próxima parada.

Amor Sobre rodas

Por: Pedro Lucavei Filho e Noemi Cardoso

De almas sinceras a união sincera
Nada há que impeça: amor não é amor
Se quando encontra obstáculos se altera,
Ou se vacila ao mínimo temor.
Amor é um marco eterno, dominante,
Que encara a tempestade com bravura;
É astro que norteia a vela errante,
Cujo valor se ignora, lá na altura.
Amor não teme o tempo, muito embora
Seu alfange não poupe a mocidade;
Amor não se transforma de hora em hora,
Antes se afirma para a eternidade.
Se isso é falso, e que é falso alguém provou,
Eu não sou poeta, e ninguém nunca amou.

William Shakespeare